Parques de Belo Horizonte ganham 4.600 novas árvores plantadas pela Arena MRV

Com informações da Secretaria Municipal de Meio Ambiente

Foram concluídos os processos de plantio de 4.600 mudas de árvores, que foram determinados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente para a Arena MRV, e divididas entre os parques do Brejinho, na região da Pampulha, e Fernando Roquette Reis, localizado na regional Nordeste da capital. As novas árvores são fruto de compensação ambiental, em decorrência de condicionante prevista em licenciamento.

Foram plantadas mudas de ipês, jacarandás, jatobás, perobas, dentre outras espécies nativas e frutíferas. A entrega é só uma etapa do acordo com o empreendimento, que prevê o plantio de 46.000 novas árvores em locais determinados pela Prefeitura de Belo Horizonte. Neste sentido, o empreendimento fica responsável pela aquisição e implantação das mudas, bem como sua manutenção por três anos após o plantio. O total de mudas corresponde a uma árvore para cada assento da Arena MRV.

“Estamos contribuindo com o reflorestamento de áreas públicas e urbanas, o que traz uma melhora na qualidade de vida para a população da região, criando um microclima e protegendo o solo”, ressalta Pedro Henrique de Dantas Melo, engenheiro florestal da Golder, empresa contratada pela Arena MRV para coordenar o plantio.

Primeira etapa do plantio aconteceu em parques nas regiões da Pampulha e Nordeste de BH

Antes das árvores serem plantadas, houve preparação do terreno, com perfuração das covas, roçada para facilitar o acesso aos pontos de plantio, transporte de mudas e adubo orgânico. A iniciativa é de suma importância, uma vez que atua no resgate de serviços ambientais por meio da criação de áreas de conexão, como os corredores ecológicos, e gera benefícios como a oxigenação do espaço, controle climático, restauração e preservação de recursos hídricos.

As novas árvores, que compõem agora o espaço têm um importante papel, como conta o presidente da Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica, Sérgio Augusto Domingues: “Os plantios de espécies nativas nos parques têm como objetivo, inicialmente, melhorar a infraestrutura verde da cidade, potencializando os serviços ambientais de infiltração da água de chuva, retenção da poeira, além de melhoria das condições climáticas, da poluição atmosférica, sonora e também da recuperação de nascentes. Temos feito, ainda, uma campanha de recuperação de áreas degradadas, sejam as que passaram por efeitos de borda ou algum tipo de perturbação, como queimadas florestais. A arborização intensiva nos parques é um objetivo sempre presente no processo de manejo das áreas verdes da cidade”, conta.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Mário Werneck, comemorou o sucesso do processo de compensação ambiental, ressaltando o valor dos parques no ecossistema urbano: “Os parques da nossa cidade são um grande alento para a comunidade que vive o dinamismo dos complexos urbanos. Nesses espaços de preservação é onde as pessoas têm contato com a natureza e entendem, por vivência, a importância dela para a sua qualidade de vida. Expandir esse importante serviço por meio do plantio dessas 4.600 mudas é também contrabalancear os impactos ambientais que os processos de urbanização provocam, e educar a nossa comunidade para um estilo de vida mais sustentável”, afirma.

23 de maio de 2022

COMPARTILHAR:

Comentários

RECENTES

Nota de Esclarecimento. Para dirimir eventuais dúvidas causadas por...

LER MAIS

Após diversos estudos de viabilidades técnica e econômica, a...

LER MAIS
VER MAIS
Arena MRV

RUA CRISTINA MARIA DE ASSIS, 202, CALIFÓRNIA, BELO HORIZONTE - MG